Comic Boom!


Claudio Seto



1944
15 de novembro de 2008

Lista de revistas com trabalhos de Claudio Seto
Veja lista detalhada dos trabalhos


(acima, uma das últimas fotos de divulgação do artista)

Chuji Seto Takeguma, mais conhecido como Claudio Seto, nasceu em Guaiçara, São Paulo, filho de um caixeiro-viajante. Desde a infância gostava de desenhar. Aos nove anos, afimar ter ido para o Japão estudar num templo Zen. Nos finais de semana visitava o estúdio de Osamu Tezuka, considerado o “pai” do mangá.

Depois de oito anos, retornou ao Brasil e trabalhou com publicidade. Era a segunda metade da década de 60, quando várias editoras de pequeno e médio porte atuavam com relativo sucesso na capital paulista lançando principalmente quadrinhos, quase todos de artistas nacionais. Esse aquecimento motivou Seto a enviar para algumas editoras amostras de seu trabalho — que reproduzia o estilo japonês, ainda de forma amadora. Um dia, essas amostras caíram nas mãos de um jovem editor, artista e empresário dos mangás, Minami Keizi, e ele contratou Seto para trabalhar em sua recém-fundada editora, a Edrel.

Após produzirem o fracasso da revista “Humor Negro” (1967), de piadas e charges direcionadas a adultos, Keizi e Seto decidiram partir para uma direção até então inédita no Brasil. Em 1968, a Edrel botou nas bancas o gibi “Ídolo Juvenil”, trazendo uma pequena criação de Seto: Flavo, um robô de aparência infantil dedicado a combater o mal em um cenário que mistura “sci-fi” e contos de fadas. Ainda na Edrel, Seto produziu histórias de samurais e ninjas. Seu maior sucesso nessa época foi a série “O Samurai”.

No final da década de 70 trabalhou na editora curitibana Grafipar como desenhista e editor de alguns títulos, reunindo grandes argumentistas e desenhistas na editora, dentre eles Flavio Colin, Julio Shimamoto, Mozart Couto, Watson Portela, Rodval Matias e Franco de Rosa. Nessa época retomou uma personagem que criara na Edrel, Maria Erótica, com grande sucesso, chegando a ter revista própria. Com o fim da Grafipar, Seto publicou poucas histórias em quadrinhos, entre elas destaca-se "A História de Curitiba em Quadrinhos", em comemoração aos 300 anos da cidade.

No fim da vida publicou charges nos jornais "Tribuna do Paraná" e "O Estado do Paraná" e dedicou-se a organizar eventos culturais da comunidade japonesa. Também lançou um livro contando a história da imigração japonesa no Paraná e escreveu sobre lendas do Japão para o jornal Nippo-Brasil.

Dentre os prêmios ganhos por Seto estão o prêmio homenagem Ângelo Agostini como "Mestre do Quadrinho Brasileiro" em 1990; o HQMix, como "Grande Mestre do Quadrinho Brasileiro" em 1995; além de uma homenagem como "Pioneiro e Mestre do Mangá no Brasil", da Associação Brasileira dos Desenhistas de Mangá e Ilustradores em 1996.


Fontes:

AQUINO, Felipe. "Homenagens para Claudio Seto em Curitiba". In hqmaniacs.uol.com.br. 27/7/2007.

Entrevistas:

alanmooresenhordocaos.hpg.ig.com.br/entrevistas152.htm

grafipar.blogspot.com/2006/12/entrevista-com-cludio-seto.html

educacional.com.br/entrevistas/interativa/alunos/entrevista031.asp

Outros sites:

www.abrademi.com/news_primeiros.html

hqpoint.blogspot.com/2008/03/grafipar-editora-que-saiu-do-eixo- por.html

nippobrasil.com.br/2.semanal.lendas/index.shtml

parana-online.com.br/editoria/mundo/news/24278/

mulheresquadrinhos.blogger.com.br/2006_04_01_archive.html

mulheresquadrinhos.blogger.com.br/2005_01_01_archive.html

universofantastico.wordpress.com/2008/11/15/morre-claudio-seto- o-samurai-dos-quadrinhos/

zinebrasil.wordpress.com/2008/11/15/morre-quadrinista-claudio-s eto/

gibitecacom.blogspot.com/2008/11/fiquei-sabendo-h-pouco-do-fale cimento.html

http://www.interney.net/blogs/maximumcosmo/?cat=3203

mulheresquadrinhos.blogger.com.br/2005_01_01_archive.html

abrademi.com/claudioseto.html



Relate algum problema encontrado nesse artista

  • Vandrigo
  • Adicionado por
    Vandrigo
    em 18/05/2007 14:56:00